Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Sem querer parafrasear quem nós sabemos...

... e na sequência de algumas reclamações, quero dizer que também eu "ando por aqui".
Com algumas coisas para escrever mas muito pouca energia.
E com algumas intenções para o novo ano, algumas do tipo básico mais básico não há, como "se passas o dia todo cheia de sono, talvez seja uma boa ideia começares a deitar-te mais cedo..." :-)))
E assim me vou, a caminho da caminha.

Espero que o Pai Natal de quem por aqui passa tenha sido generoso, naquilo que verdadeiramente importa: saúde, amor, união, alegria... pela parte que me toca, não tenho razões de queixa do meu :-)))
E caso a minha ausência se volte a prolongar (espero que não) aproveito para desejar um ano 2009 recheado de sucessos e alegrias!!!



Até sempre,
C&C

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Missão cumprida?!?!?!


Quando eu era criança, os presentes de Natal resumiam-se aos que se ofereciam às crianças, e eram oferecidos pelo Pai Natal, ou pelo menino Jesus (funcionavam em equipa), sempre na manhã do dia 25, o mais cedinho possível, à lareira.

Se ainda vivessemos nesse tempo (com muito mais espirito e muito menos consumismo), então hoje, com a minha primeira sessão de compras natalicias, eu daria por encerrada a "corrida" aos presentes deste ano. Porque os presentes para as crianças já estão todinhos comprados...

Mas como já não vivemos nesses saudosos tempos, lá vou ter que ir em mais correrias para o shopping para comprar os melhores e mais bonitos presentes para os crescidos... Ufa... que canseira...


Até sempre,
C&C

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

É isto o amor...


Cito José Saramago, na apresentação do seu livro "A viagem do elefante" no Brasil:

"Se eu tivesse morrido antes de conhecer a Pilar, teria morrido muito mais velho do que sou hoje."


Até sempre,

C&C

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Maravilhas tecnológicas... humpf

Numa demonstração de modernidade (humpf) a empresa onde eu trabalho costuma enviar SMS's semanais indicando aos colaboradores qual ou quais as prioridades da semana. A primeira destas SMS's costuma chegar por volta das 9h da manhã, à segunda-feira, sendo por norma recebida (dadas as especificidades do dia da semana), com um sonoro (adivinharam) HUMPFFFFF...
E não é que hoje, por um erro da operadora que envia as mensagens (ou será que não foi pura brincadeirinha de alguém que resolveu carregar no botão errado) a porcaria da SMS chegou às 6h da manhã?!?!?!!? E me roubou cerca de 45 preciosos minutos de sono??!!?!?!? Fazendo com que o inicio da semana fosse ainda mais doloroso que de costume...


Muitos... humppfffffssssss... para esta maravilha tecnológica...


Até sempre (a caminho da cama p/ recuperar o sono perdido)
C&C

domingo, 23 de novembro de 2008

Está a chegar o Natal!

Num dia passado tranquilamente no sossego do lar, eu e a R. aproveitamos para tratar dos primeiros preparativos natalicios... E assim o nosso "Pequeno T2" tem pela primeira vez um pinheirinho de Natal... Pode ser mania minha, mas acho que o momento de montagem do pinheiro é aquele que transforma uma casa num lar... E hoje vivemos por cá esse momento, com a satisfação adicional de ter sido um trabalho de equipa, visto que a minha querida companheirinha teve um contributo importantissimo na colocação dos enfeites!
E além disso, estivemos também a tratar da carta da R. para o Pai Natal, que tenho amanhã que colocar no correio para o Pólo Norte ;-)))... Gostei da objectividade, quando combinamos escrever a carta, ela só me disse "quero as Bratz, a casa da Barbie, e umas luvas". E foi a custo que a fui convencendo a desenvolver um pouco mais a carta... E assim se escreveu uma carta cheia de relatórios de bom comportamento e promessas para o futuro (nomeadamente a nível da arrumação do quarto), mas sem perder de vista o mais importante, "as Bratz, a casa da Barbie e as luvas". Palpita-me que o Pai Natal já anda a tratar do assunto :-)))
Entretanto, e nesta fase mais introspectiva em que me encontro, andei á volta das memórias escritas, neste e no outro blog... E fiquei impressionada, com os efeitos que o tempo provoca naquilo que se diz e sente com tanta intensidade... E assim continuo as minhas reflexões...


Até sempre,
C&C

domingo, 16 de novembro de 2008

Parabéns!

Costumo dizer que a minha filha é a minha "companheirinha". Hoje dei por mim a pensar que tenho outra "companheirinha", desde que nasceu, desde que me reconheço como gente. E essa grande companheira hoje está de parabéns... Um grande beijo, minha querida mana, e obrigada por tudo... pelos conselhos, pelo carinho, pela amizade, pelo ombro amigo sempre disponível, e agora também pelo melhor presente de todos... pelo melhor presente do ano... o teu filho, essa vida que floresce dentro de ti, que dá continuidade à nossa familia e nos faz sentir a todos tão felizes! Desde o primeiro momento sou a tia mais babada no universo, tão feliz que a familia cresça, tão ansiosa por encher o meu sobrinho de mimos...
Obrigada por tudo... e também por esse minisculo ser cuja vida se desenvolve dentro de ti e que traz consigo tanta alegria!
Até sempre, querida mana!!!
M.

sábado, 15 de novembro de 2008

Artes e letras

Aproveitando o dia ainda sem quilómetros e a tarde livre, levei a R. ao cinema. Na falta de grandes opções (porque os filmes infantis da época natalicia ainda não estrearam), entre o Wall-E e o Kung-fu Panda, optámos pelo segundo.
Confesso que é sem qualquer sacrificio que acompanho a minha filha a ver filmes de animação, porque acho bastante piada aos filmes, que além de tudo se encontram muito bem realizados; neste caso em particular, talvez também porque a R. estava com algum soninho, acho que prestei mais atenção ao filme que ela.



Livros - A geografia da Felicidade
Autor: Eric Weiner


Já com muito atraso, uma palavra sobre este livro, que adorei. Chamou-me a atenção pela capa, apesar de inicialmente ter pensado que se trataria de um livro de auto-ajuda. Mas não é, aliás, muito longe disso. Trata-se de um atlas da felicidade, em que o autor parte à volta do mundo, por paises tão diferentes como o Butão, a Suiça, a Moldávia, a (agora por certo já não tão feliz) Islândia, e vai observando quais os factores que tornam os povos mais ou menos predispostos a serem felizes. Apesar de não acreditar que o local onde nascemos condicione a nossa felicidade, e verdade é que por certo existem factores culturais que façam com que determinado povo tenha maior ou menor capacidade para olhar para a sua vida com olhos coloridos ou mais cinzentos.

Pontuação: 5 pontos! (só tive pena que o autor não tivesse passado pelo nosso Portugal... gostaria imenso de ler e possivelmente rever-me nesse capitulo)

Até sempre,

C&C


segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Tantos dias num só mês


Acho que foi o facto de pensar escrever no blog sobre as datas mais significativas deste mês que me fez perceber que Novembro é recheado de dias assinaláveis no calendário da minha vida... dos mais felizes: os aniversários da mãe, da mana, do cunhadinho... áquele que gostaria de apagar da minha vida... fez no dia 6 de Novembro 7 anos que perdi o meu pai, companheiro de tantos momentos, ombro amigo, muralha protectora... 7 anos aos quais não fazia a minima ideia que conseguiria sobreviver... Mas cá estou, mais madura, sem duvida mais forte, mas talvez também com uma atitude mais dura perante a vida... Mas sempre, sempre, lembrando os momentos em que tinha o meu pai comigo, e não lamentando aqueles que não pudemos partilhar...
Relembrando-o também, de uma forma diferente, mas totalmente ternurenta, através da minha filha (que não conheceu o Vô I. mas que desde sempre ouve falar nele), que me deixou à dias com os olhos cheios de lágrimas ao dizer-me: "eu tenho saudades dos abraços do Vô I". Como se soubesse que ternos eram esses abraços, e que envolvida nesse abraço nenhuma tempestade a poderia atingir... Ou no dia 1 de Novembro, em que por uma casualidade, acabei por ter que a levar comigo ao cemitério, e lhe disse: "vamos ao sitio onde está o Vô I". e vejo os olhos dela a ganharem luz e o rosto a abrir-se num enorme sorriso, para logo a seguir perguntar: "vamos ao céu, mãe?"
Que bom seria se pudessemos sempre a continuar a ver o mundo com olhos de criança.

À minha mãe, que fez anos no dia 9, um beijinho de parabéns com muito carinho.
Ao cunhadinho, com aniversário no dia 4, muitos parabéns, já muito atrasados. Este ano foste tu quem me deste o melhor presente... Ah, e prometo que para a próxima o teu presente será mais original.

A mana vai ter q aguardar até Domingo - 16 - para lhe dedicar umas palavrinhas...

E (para amenizar o post), a mim... que com tantos escorpiões na familia, bem preciso...

Até sempre,
C&C

sábado, 1 de novembro de 2008

Dito e feito!

Para que conste, já fui ao médico, e já estou medicada... Para o cansaço e para a memória, porque nos ultimos tempos tenho vindo a constatar que estou super-esquecida.
E vou fazer análises, para ver se de resto está tudo bem...


Agora, resta-me ver se consigo seguir com a medicação até ao fim, porque eu a tomar medicamentos sou realmente uma desgraça...

Para já, e como os efeitos ainda não se sentem, toca a ir para a caminha cedo que é para ver se pelo menos vou recuperando em número de horas de sono...


Até sempre,
C&C

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Cansaço


O cansaço tem vindo a crescer de dia para dia... Estou tão cansada que ainda nem contei que já terminei de ler o livro "Geografia da Felicidade"... e também não o vou comentar hoje, mas não é por não ter gostado... é mesmo por falta energia para pensar nas palavras...
Tão cansada que me custa até mexer-me e por isso aterrei em frente ao computador e ainda não fui fazer o que devia, apesar de ser cedo - deitar-me.


E por estas e por outras fica aqui escrito para a humanidade que esta semana sem falta vou ao médico. Para fazer um check-up, e para ver se tomo umas vitaminas que me coloquem menos K.O. Cheira-me que os tempos que se avizinham não serão nada fáceis...


E agora vou usar a minha ultima energia do dia para me arrastar para a cama.


Hasta mañana!!!
C&C

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Cookie à presidência!


Correndo o risco de alguém achar que este blog se tornou mono-temático, e até um pouco lamechas, vou contar um episódio deste fim-de-semana, com a minha filha...

Fomos mais uma vez em missão a LX, desta vez para trazer a Avó, e agora também na companhia do D., o que acabou por nos permitir aproveitar um pouco mais. Passamos a noite de Sábado num hotel literalmente "debaixo da ponte" 25 de Abril, e no Domingo, antes de irmos para casa da minha madrinha, e aproveitando o fabuloso dia de sol, fomos dar um passeio nos jardins do Mosteiro dos Jerónimos. A caminho passamos em frente ao Palácio de Belém, e eu aproveitei para explicar à R. que ali vivia o Presidente da Republica, que era a pessoa mais importante de Portugal. E a resposta foi tão rápida e espontânea que me deixou em estado de completo deleite... "não, mãe, para mim és tu a mais importante".

Até sempre, com um sorriso de ternura nos lábios,
C&C

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Momentos mágicos

Hoje enquanto a R. via uns desenhos animados no Panda, sentadita no sofá, eu sentei-me no chão junto a ela. E a minha filha, muito meiguinha, encostou o rosto ao meu, e abraçou-me. Ficamos assim juntinhas durante um bom tempo, enquanto eu experimentava, uma vez mais, mas de forma ainda mais intensa, a maravilhosa sensação de ser mimada pela minha filha.
E depois de ter passado os ultimos dois dias cheia de saudades dela, enquanto esta estava com o pai, soube ainda melhor...
Obrigada, linda princesa, por mais um momento mágico. Adoro-te!
Até sempre,
C&C

domingo, 19 de outubro de 2008

Uma questão de perspectiva

Recebi um e-mail (do D) com este pequeno texto, que não resisto a partilhar. Na verdade é um texto muito simples, mas que nos toca por ser tão verdadeiro e evidente, e por tantas vezes nos passar ao lado. Realmente o modo como olhamos para a nossa vida, pode fazer muito em favor da nossa felicidade ou infelicidade...

"O filho que muitas vezes não limpa o quarto e está a ver televisão, significa que está em casa.
A desordem que tenho que limpar depois de uma festa , significa que estivemos rodeados de familiares e amigos.
As roupas que me estão apertadas, significa que tenho mais do que o suficiente para comer.
O trabalho que tenho a limpar a casa, significa que a tenho.
As queixas que escuto acerca do governo, significa que tenho liberdade de expressão.
Não encontro estacionamento, significa que tenho carro.
Os gritos das crianças, significa que posso ouvir.
O cansaço no final do dia, significa que posso trabalhar.
O despertador que me acorda todas as manhãs, significa que estou vivo.
Finalmente pela quantidade de mensagens que recebo, significa que tenho amigos a pensar em mim."

Até sempre,
C&C

sábado, 18 de outubro de 2008

Lideres europeus à procura de uma solução para a crise

Cortesia da D. MC (mãe), que me enviou esta imagem em e-mail...
Até sempre,
C&C

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Algumas razões pelas quais ando a ficar doida...


A mãe pediu, a Mary perguntou, e por isso cá estou eu a dar "um ar da minha graça". Por assim dizer, porque na verdade o caso não tem andado para piadas. Pensando sobre que assunto escrever, conclui que o meu dia de hoje, sem ter tido nada de particularmente interessante, é um bom tema...

Começou logo bem... toca o despertador, e eu, ainda meio a dormir, pergunto-me porque está aquela porcaria a tocar, visto que é Sábado. Lá vou a pouco e pouco acordando, e chegando à dolorosa conclusão de que ainda nem sequer é sexta-feira, mas apenas quinta. Por este motivo, sair da caminha hoje ainda foi mais penoso que de costume.

Felizmente a R levantou-se como um relampago quando se lembrou que hoje era um dia especial na escolinha, por ser dia da alimentação iam ter uma série de actividades. Pessoalmente, acho que deveriam existir actividades todos os dias, poupava-me um grande esforço matinal. À terça-feira, dia de Karaté na escola, também é sempre uma maravilha, lá vai ela de fato já vestido e toda contente, enquanto vamos brincando às lutas e ela insiste em corrigir-me dizendo que no Karaté não se faz barulho... Mas afinal que é o Karaté sem "gritos"?!?!? As coisas que ensinam às crianças.

Saio de casa feliz com o meu visual, escolhi uns lindos sapatos semi-abertos. Quase ao chegar ao trabalho, 45 kms mais à frente, a chuva mostra-me que mais uma vez tive uma péssima opção...

Durante o dia, parece que toda a gente anda com "fome de conversa" e escolhem-me a mim para partilharem os mais diversos temas...
Desde o senhor de idade que começa por perguntar-me como é que faz um aumento de capital (eu tenho cara de contabilista??? dele??? e paga-me???), terminando a conversa com uma dissertação acerca de os licenciados acharem que sabem muito, mas as pessoas de mais idade é que têm a experiência de vida, coisa da qual eu nem discordo, simplesmente acho que em nada se deve generalizar... há pessoas de idade que em todos os anos de vida parece que não aprenderam nada, e há licenciados (como eu) que sabem que têm muito a aprender com pessoas com experiência de vida maior ou diferente, mas com a confiança de que podem também ter algo a ensinar... enfim, mas não era eu que ía prolongar a conversa, por isso fui ouvindo enquanto esperava que o senhor terminasse.
Aos meus queridos chefes que decidiram que como agora (supostamente) eu tenho apenas um local de trabalho devo começar a tomar parte nas reuniões diárias deles, porque devo estar a par de todos os assuntos... para começar logo bem, a reunião demora mais de uma hora (ou assim me pareceu)... mais uma vez, muito tempo perdido em conversas...
Mas o cumulo foi quando um dos meus colega resolveu partilhar comigo um segredo, sobre as suas supostas capacidades "paranormais". Diz que por vezes lhe acontece saber o que as pessoas estão a sentir ou ter sensações fortes sobre coisas que não estão bem com outros, ou sobre alguma desgraça que possa ter acontecido... Apeteceu-me pedir uma consulta...
Sinceramente, mais um dia destes e faço uma placa a dizer "Deixem-me trabalhar!" e penduro-a ao peito...
Durante o dia , e antes disto, aconteceu-me pensar como seria bom se um dia (um só dia que fosse), eu pudesse sair do trabalho sentindo que tinha feito todas as minhas tarefas do dia... e com um dia destes, a lista de tarefas cresceu em vez de diminuir...

Até sempre,
C&C

sábado, 4 de outubro de 2008

Finalmente voltei :-)


Dizem as más linguas que o ultimo post deste blog já está a ganhar teias de aranha. Alguns (mais insensíveis) atrevem-se a dizer que já estão fartos de passar por aqui e lhes (e cito) "aparecer sempre o piriquito à frente". Quanto a estes, quero apenas dizer que só estão fartos porque o piriquito que aparece na foto não é o Serafim, porque o Serafim (apesar de fazer imensa porcaria) é tão lindo que ninguém se cansa de olhar para ele... Poderão outros pensar que o animal dá imenso trabalho, já que desde que anunciei ao mundo que o tinha, nunca mais escrevi uma letrinha que seja no blog. E outros, os mais maldosos, talvez achem que aqui a Cookiezinha perdeu a inspiração literária :-))).

A todos, porque sei que alguns poderão ficar realmente preocupados, anuncio que a falta de produção está relacionada com o tempo e o empenho que tenho dedicado a um "projecto de melhoramento pessoal" (soa bem :-))... é isto mesmo) sobre o qual não posso adiantar mais detalhes...
(ou então é uma soma de tudo aquilo que acima está escrito e eu estou a arranjar desculpas)

Até sempre,
C&C

PS - O piriquito está de castigo, depois de ter descoberto que ele resolveu brincar com a comida, e desperdiçá-la, fui lá e tirei-lha. Está de dieta... Provisoriamente, é claro, daqui a pouco já lá vou alimentá-lo... Chamemos-lhe "medidas educativas extremadas"

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

A familia já cresceu

Pensava eu que a familia só iria crescer em Abril, mas afinal, de forma surpreendente, já somos mais cá em casa...
O avó da R., decidiu oferecer-lhe um piriquito, e qual não foi o meu espanto, ao chegar a casa dele para a ir buscar, quando percebi que afinal a ideia não era o piriquito ficar lá ou para casa do pai, era vir para aqui... um pouco espantada, mas já a adorar a ideia, porque achei lindo aquele animalzinho pequenino, lá fui captando as informações que me deram sobre como o deveria tratar.
E assim, foi, temos um novo membro na familia, que por escolha da R se chama Serafim, e que contamos estimar com a ajuda da Vó C., para o alimentar nos dias em que não estamos cá... e que me parece que até achou piada à ideia, porque disse logo que tinhamos que lhe arranjar companhia...
Para já está muito timido e parado, simplesmente a observar o ambiente. Espero que em breve se sinta integrado, e à vontade para cantar, ou simplesmente para comer e beber, que até agora não tocou em nada.
Bem-vindo a casa, Serafim! À parte a surpresa inicial estou muito feliz por te ter aqui, porque sempre quis um animal de estimação, principalmente nesta nova casa, e sempre fui arranjando desculpas para não o ter!

Até sempre,
C&C

domingo, 21 de setembro de 2008

A precisar de fim-de-semana


812 kms depois de ter começado o fim-de-semana, estou de regresso a casa... Estou fisica e até mentalmente cansada, mas com a sensação do dever cumprido. A minha avó, de 81 anos, está entregue em casa da filha mais nova, em Lisboa, e (quem a conhece e as suas ininterruptas queixas compreenderá como foi bom para mim ouvir isto) hoje ao sair disse-me que estava bem, que não lhe doia nada da viagem, e que o carro era muito confortável. Fiquei contente, porque tinha uma missão dificil (uma viagem relativamente grande técnicamente acompanhada de duas crianças, já que fui também com a minha filha) e consegui desempenhá-la bem e tranquilamente. Foi a primeira vez que fiz a viagem de carro e sendo a unica condutora. Felizmente os meus muitos kms diários, fazem com que tenha a perfeita noção de que o nosso pais é muito pequeno, pelo que a viagem não assusta tanto assim.

Para além disso, foi também muito bom estar novamente com a minha madrinha, e com o meu tio. Com a madrinha pude "desenferrujar a lingua" e ter daquelas enormes conversas em que não se dá conta do tempo passar, com o meu tio senti que finalmente se está a quebrar aquela barreira que se criou com a minha separação.

No regresso, e porque normalmente tento agradar a todos, apesar de a minha vontade ser "aterrar em casa", ainda passei com a R. em casa da tia (irmã do pai), que hoje fazia anos. Fui bem recebida (como sempre, e diria até como cada vez mais). Quando tentava convencer a R a voltarmos para casa ela disse-me que queria ficar com o pai. Cansada demais para discutir por causa desse assunto, disse-lhe que o poderia fazer, desde que o pai pudesse ficar com ela. E assim foi... E apesar de sentir a falta dela e a casa estupidamente vazia, estou a tentar olhar para a situação pelo lado positivo... preciso realmente de uma boa noite de sono, e de descanso... e desta forma só tive mesmo que tratar de mim...


Bom, e mais uma vez já me alonguei... e já está na hora que planeei para me deitar... que eu agora estou empenhada em fazer planeamento de muitas coisas na minha vida e seguir as regras... Depois conto as minhas ideias mais em pormenor.


Até sempre,

C&C

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Os compadres...


Até sempre,
C&C
(a caminho da caminha para tratar do meu futuro)

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Curioso...


Ontem antes de ir dormir, de repente lembrei-me de uma coisa... e fiquei realmente surpreendida, sendo eu uma mulher que pensa bastante, sobre tudo e sobre nada, por nem sequer me ter ocorrido antes tal pensamento...

Fez também anos no dia do meu aniversário, anteontem (8 anos), que estava eu a entrar na igreja vestida de noiva, cheia de sonhos e ilusões... Ainda me lembro de algumas pessoas, quando lhes disse na altura que tinha escolhido o dia de aniversário para casar, acharem estranho, e fazerem comentários do género "assim vais perder uma festa", enquanto eu pensava que o que elas estavam realmente a achar era que se as coisas não corressem bem, eu ia ter uma associação triste a uma data feliz...

E como acima escrevi, registo com curiosidade e até alguma surpresa, que realmente não é assim. As datas têm o significado que lhes queremos dar e para mim o 16-09 é o dia em que celebro o meu aniversário. E, na verdade, há 8 anos atrás, foi um aniversário especial, e foi um dia muito feliz... Não guardo desse dia outras memórias, por mais voltas que a vida tenha dado entretanto.
Confesso que fiquei contente, e por isso registo aqui, por me ter esquecido completamente...

Até sempre,
C&C

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Ideias soltas

  • Sou só eu a achar que andam a gozar com a minha cara com esta história dos preços dos combustíveis? Será que alguém fica realmente convencido que com uma redução tão acentuada dos preços do barril de petroleo, o custo dos combustíveis não segue nem de perto a mesma tendência? E hoje ainda há petroliferas a ter o atrevimento de aumentar preços???

  • Resolução de "idade nova": estar com aquelas pessoas de quem gosto tanto, em que os diferentes rumos que as nossas vidas levaram acabaram por nos afastar. Nada justifica que só nos aniversários falemos com essas pessoas. Por mais ocupada que seja a nossa vida, é tudo uma questão de planeamento, como costuma lembrar-me a minha mana, e também aquela frase tão simples, penso que era de um anuncio da Swatch (as lições de vida que se retiram da publicidade... eheh) - tempo é o que se faz com ele". Passando da teoria à pratica, já hoje propus uma data para um jantar com duas amigas e ex-colegas. Vou continuar pelos meus tios emigrantes que estão cá em Portugal, e a seguir pela minha melhor amiga dos tempos de colégio. Talvez passando depois por um convivio com os amigos do tempo da faculdade... Bom, pelo menos a intenção cá fica!

  • Ainda sobre a idade nova, foi engraçado ver as pessoas que tiveram o descaramento de me perguntar a idade que eu fiz a acreditarem (basicamente) em tudo o que lhes dizia que não fosse totalmente disparatado... posso passar perfeitamente por ter 28 anos... p/ quem vê mal e n se lembra q tenho uma filha com 4 anos!

  • Blogueando por aí: lá fui espreitar o cantinho na net que ontem me confiaram... e foi muito engraçado ver-me por lá, coisas que disse, reacções que tive. Muito giro "ler-me" pelos olhos de outra pessoa!

  • Atenção - ouvidos de criança à escuta: hoje ao jantar comentava com o D. uma situação aborrecida pela qual passei (a equipa passou) hoje no local de trabalho. A certa altura referi que alguém era má pessoa. A R. parecia estar entretida com o seu prato, mas de repente pergunta-me: "mas porque é que ele é má pessoa?". E eu lá lhe estive a tentar explicar com suavidade, ao mesmo tempo que pensava que tenho mesmo que ter cuidado com as conversas que tenho à frente dela...

Bom, mais poderia dizer, mas fico-me por aqui. Tenho o meu principe ao meu lado, a minha filha a dormir tranquilamente, e mais uma vez estou feliz, sou uma mulher de sorte, porque tenho quem eu quero junto a mim!


Até sempre

C&C

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Parafraseando uma amiga blogueira...

... Parabéns... a mim!

32 anos de vida que hoje se completam, com muitos motivos para festejar...

... estou aqui, viva, de saúde (eu e os meus) e feliz... tenho amigos, tenho tranquilidade a todos os níveis. Estou satisfeita com o que alcancei até ao momento e determinada em seguir o meu caminho...

... sou lembrada, por muitas pessoas, algumas de quem confesso que nem sequer sei (ou até acho que nunca soube) a data de aniversário... recordo-me como uma lembrança é importante, e prometo a mim mesma tentar atenuar este defeito. Adoro sentir que neste dia se lembram de mim, e quero dar aos outros a mesma alegria...

... tenho uma filha que já é capaz de me escolher presentes, que simplesmente amei, porque foi ela, com o seu gosto, e as suas ideias determinadas, com a ajuda da minha querida mana, que tratou da compra, numa perfeita e doce surpresa...

... a familia está a crescer. Hoje à mesa do jantar já estava mais um elemento à mesa, que apesar de em termos fisicos apenas dar um ténue sinal da sua presença, já conquistou o seu enorme espaço no coração da familia!

... contaram-me um segredo... uma prova de confiança de alguém que amo incondicionalmente e a quem sei que já nem preciso de mostrar que realmente a mereço...

... revi velhos amigos... Apesar de ter passado grande parte do dia incontactável (estava em formação), estive no local onde trabalhei anteriormente, pelo que num dia especial, revi antigas caras do dia-a-dia das quais agora tenho tantas saudades...

Vou-me deitar com o coração cheio de amor, sorridente e feliz! Obrigada a quem contribuiu para esta alegria!

Até sempre,

C&C

domingo, 14 de setembro de 2008

Os livros das férias

Como prometido, cá vai um post com um breve comentário aos livros que li durante as férias:
Pais brilhantes, professores fascinantes - Augusto Cury
Um livro escrito pelo psquiatra Augusto Cury, sobre educação (dos filhos ou dos alunos). Fornece pistas aos educadores, para que estes cultivem a inteligência e a emoção. Pontuação para o livro: 3 valores. Confesso que me desiludiu um pouco...



Venenos de Deus, remédios do Diabo - Mia Couto

Um médico português vai até à recondita Vila Cacimba, em Moçambique, procurando uma mulata moçambicana por quem se havia apaixonado. O enredo desenvolve-se pelo meio do mistério que envolve o seu não aparecimento, enquanto o médico se vai envolvendo nos segredos das histórias não contadas da vila.

Uma história algo confusa, mas contada de uma forma que prende o leitor, num texto repleto de mensagens, de frases cheias de significado.

Pontuação para o livro: 4 valores

Os retornados - Um amor nunca se esquece - Júlio Magalhães

Comprei este livro pelo titulo, nem o subtitulo nem o autor me despertavam especial interesse. Não tenho qualquer ligação às ex-colónias, nem sequer sou próxima de pessoas que lá tenham estado, mas acho especialmente tocante e interessante este periodo da nossa história. E confesso quue as ex-colónias sempre me atrairam, vejo neste momento tantas pessoas a partirem para trabalhar em Angola e penso que se um dia emigrasse, este era um dos destinos possíveis. Africa atrai-me... claro que já nada é como antigamente, os portugueses que lá viveram falam da sua vida como de abundancia, sem stresses nem pressas, com um clima fantástico, com um nível de progresso que era nessa altura superior ao da metropole...

Bom, mas estou-me a dispersar... Quanto ao livro... enfim, um tema tão rico mereceria mais do que uma história de amor forçada e previsivel, escrita de uma forma quase infantil. Lamento, mas é a minha opinião.

Pontuação para o livro: 3 valores, pelo tema, porque se lê bem. Pelo conteudo mereceria menos...

Caffé Amore - Nicky Pellegrino

Já tinha em tempos lido o segundo romance desta escritora, A filha do pescador, de que também gostei muito. Por este motivo tive curiosidade em ler o primeiro, o livro que deu o reconhecimento mundial a Nicky Pellegrino. É um belo romance, um enredo que prende da primeira à ultima página. Levei este livro para Ibiza, pensando que iria lê-lo nos sete dias das férias. A verdade é que acabei por o ler em três noitadas e depois fiquei sem nada para ler...

Pontuação para o livro: 4 valores!

Até sempre,

C&C

sábado, 13 de setembro de 2008

Recordando dias de sonho

Pois como prometido e apesar de andar desinspirada, aqui fica um post relembrando as férias, entre a doce vida em VCO, sem a pressão dos horários, com o tempo quase sempre convidando à praia, com a R. finalmente aventurando-se na calma água do mar quando a maré está vazia. Lembrando também o unico dia em que conseguimos que fosse à água com a maré mais cheia, em que saltando cheia de alegria nas ondas, ía repetindo: "eu não tenho medo! eu não tenho medo!".
Lembrando também a semana de férias em Ibiza, para onde voamos os três num avião da Spanair (pela primeira vez, que medo...). No momento da decolagem eu fui com a minha mão ao encontro da R., tendo a reacção dela, pronta e decidida, sido: "mãe, não precisas de me dar a mão, que eu não tenho medo". As praias de mar calmo de Ibiza, ilha que tanto me surpreendeu pela positiva. A R. dia após dia a ganhar uma paixão crescente pelo mar (que em quase todas as praias que fomos conhecer era mais uma enorme piscina de água salgada e quentinha), que nos ultimos dias já a levava a aventurar-se sem braçadeiras. A doce companhia do D., sempre tão atencioso, divertido, carinhoso, a cumplicidade crescente dele com a R....
O regresso mais uma vez na Spanair, passando bem ao lado de um enorme susto, porque o avião que nos deveria ter levado, tinha aterrado horas antes em Mallorca de emergência. Menos doloroso porque como já referi, ao chegar tive uma fabulosa noticia, à qual dedicarei um post completo, num dia em que a inspiração esteja melhor...
O inicio de um novo periodo, depois de três semanas de descanso (às vezes acho que o ano devia oficialmente começar no fim das férias), cheio de determinação, de vontade de organizar melhor a minha vida e de ir estabilizando progressivamente... E o chegar ao fim da primeira semana já completamente cansada... o que deverá acontecer até que o meu ritmo esteja novamente adaptado às exigências do dia-a-dia.
Até sempre,
C&C
PS - Porque as férias também representam uma boa oportunidade para por a leitura em dia, tenho 4 livros para comentar, aos quais dedicarei um post unico daqui por uns dias...

domingo, 7 de setembro de 2008

Só para marcar presença

Hoje é o doloroso ultimo dia antes do regresso ao trabalho, e como apenas ontem regressei a casa (desde o inicio de Agosto acho que só passei cá duas noites) tenho andado por aqui a tentar organizar minimamente as coisas. Ainda há muito para fazer, até porque tive hoje a familia mais próxima a almoçar por cá, por isso só venho aqui mesmo para marcar presença. Há muito para dizer e contar, mas fica para outro dia...
Tive uma recente grande noticia, que mudou o meu mundo, e que no dia em que estava a regressar de Ibiza, e ao mesmo tempo o pai da R. a tinha ido buscar, tendo eu passado de repente de estarmos 24 horas por dia juntas para estar a quase 100 kms de distância dela, me deixou com um enorme e persistente sorriso nos lábios... Resisto a partilhá-la porque não tive autorização dos intervenientes para tal, mas quero apenas dizer que estou enormemente feliz. E desde já agradecer a quem me proporcionou tamanha alegria!!! E já agora, posso contar??? Posso? Posso???
Até sempre,
C&C

domingo, 24 de agosto de 2008

Coincidências stressantes


Sempre tive uma relação descontraida com as viagens de avião, e considerava este meio do transporte como um dos mais seguros. Até já me tinha habituado à coincidência de uns dias antes de eu fazer uma viagem, acontecer sempre alguma coisa com um avião, algures no mundo. O que ainda não me tinha acontecido, era que esse avião fosse precisamente da mesma companhia na qual eu vou viajar... Por isso, quando daqui por uns dias me sentar a bordo de um avião da Spanair, ainda por cima com a minha filha ao lado, confesso que pela primeira vez, a tranquilidade será pouca... Wish me (us) luck!!!

Até sempre,
C&C

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Este blog está... de férias


Pois bem, o motivo que me tem mantido mais afastada do blog, é, como provavelmente já se adivinhou, o gozo de merecidas férias por parte da sua mentora!!! Estou a meio da primeira de 3 semanas preciosas, o que à partida até parece bastante tempo... mas a verdade é que tenho sido perseguida pela sensação de que não tarda estarei a trabalhar. Não tenho propriamente pensado em trabalho, simplesmente não consigo abandonar a sensação (disparatada) de que o dia de regresso está próximo... Espero que entretanto passe...

E espero também conseguir chegar ao fim das férias inteira, uma vez que retomei um passatempo bem antigo, e do qual guardo más memórias (na forma de uma cicatriz no joelho). Convenci-me de que estou numa terra que convida à prática do ciclismo , já tenho bicicleta, e dentro das minhas limitações de caracter prático (visto que colocar a minha filha em cima da mesma bicicleta que eu se afigura totalmente impraticavel), e já a estreei... Confirmei as minhas expectativas, assim como que, como dizem, é daquelas coisas que uma vez que se aprende, jamais se esquece... Espero continuar a praticar afincadamente, e sem mazelas!


Até sempre,
C&C

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Outros rumos...

Quando vou a um supermercado cá da terra, e me cruzo com uma antiga colega minha dos tempos de colégio, a fazer atendimento na caixa (e não é só uma, nem duas), dou o devido valor às pestanas que queimei nos longos anos que passei a estudar, e que realmente fizeram a diferença nos rumos que as nossas vidas tomaram...

Até sempre,
C&C

domingo, 3 de agosto de 2008

Livros - "Uma vida em mil pedaços"

Autor: James Frey
Os meus comentários sobre os livros andam realmente atrasados, talvez porque os livros que tenho encontrado têm realmente despertado o meu interesse, e deste modo eu acabo por andar mais "agarrada" aos livros que ao computador, no meu pouco tempo livre.
Tive este livro na prateleira durante um bom tempo. Comprei-o sabendo de antemão que seria bastante duro, e por isso ía colocando outros à frente, esperando por um estado de espirito mais "forte". Mas realmente enganei-me... este livro é realmente duro, mas tem uma mensagem bastante positiva.
Fui buscar a sinopse que encontrei na Webboom, porque o cansaço que já acumulo não ajuda à inspiração, e também porque de facto contém tudo o que eu pretendia dizer sobre esta obra:
"Inspirado no caso verídico de James Frey, Uma Vida Em Mil Pedaços é um relato impressionante de um caminho tortuoso pelo submundo do álcool e das drogas que levou ao limite da existência um jovem rapaz de vinte e três anos. Preso ao álcool desde os treze anos e à cocaína a partir dos vinte, James não cedeu à tentação do prazer imediato iniciando numa jornada solitária pelos trilhos da dependência. Uma opção que quase lhe custaria a vida, não fossem os pais a promoverem a sua reabilitação numa clínica de recuperação. E é precisamente o relato desse período que o livro trata, podendo o leitor assistir a seis semanas de alucinações, dores lancinantes e por fim às doze fases para atingir a cura. Começando por corrigir o nariz e implantar dentes a sangue frio, James terá de confrontar-se com os seus problemas interiores. Uma obra dura mas extremamente comovente que nos revela o lado obscuro da vida e nos concede esperança na possibilidade de recuperação."
Ao autor, a minha admiração, pela vitória sobre a dependência na luta diária que contra ela vai travando.
Pontuação para o livro: 5 valores... é uma viagem realmente impressionante ao mundo das dependências, principalmente porque contada na primeira pessoa
Até sempre,
C&C

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Lições de vida de uma vida diferente

Este fim-de-semana fui visitar a minha tia-avó, que já não via há alguns anos. A minha tia escolheu um caminho diferente para a sua vida, ao decidir dedicá-la desde nova ao "seu" Deus. Estar com ela depois de todos estes anos despertou em mim multiplos sentimentos, verdadeiras lições de vida em poucas horas, que não resisto aqui a partilhar...

... simplicidade... quando ao abrir a porta do seu quarto (um espaço com menos de 10 m2) disse com toda a naturalidade: "é aqui que eu tenho todas as minhas coisas". Num mundo em que damos tanta importância ao dinheiro e a tudo que é material, foi quase com choque que eu me dei conta que é tão pouco aquilo de que necessitamos para viver com conforto...

... comovente... descobrir na mesinha de cabeceira, ao lado do cartão enviado pelo Papa por ocasião dos seus 50 anos como religiosa, as fotografias que lhe tinham dado da minha filha... e isto apesar de o meu comodismo nunca me ter levado até ela para se conhecerem...

... marcante... o modo como ofereceu à minha irmã (uma das principais promotoras do encontro da familia) o terço benzido pelo Papa que foi também enviado por altura dos 50 anos... e quando nos apercebemos que ela estava a oferecer uma coisa que era para ela tão importante, disse simplesmente "quando temos gosto numa coisa, devemos oferecê-la a alguém que nos fez bem". Uma mensagem de altruismo, que me levou as lágrimas aos olhos. E sem dúvida foi bem oferecido, porque sei que, independentemente das crenças, o entregou a alguém que lhe vai saber dar o devido valor...

... tranquilidade... que emana daquele lugar, uma casa de religiosas, que é também um infantário e uma escola. Um espaço de oração ao qual souberam dar o colorido dos risos das crianças. A minha filha adorou, e no dia seguinte ao acordar, quando lhe perguntei o que queria fazer, só me respondeu: "quero ir à casa da tia "ferreira"" (adaptação livre de freira)...

... memórias... ao entrar o portão a minha irmã perguntou-me se eu não me lembrava daquele portão, eu disse que não, mas mal entrei abriram-se as portas da minha memória, de umas férias que passei por lá na companhia da minha tia, rodeada de amplos jardins, de toda aquela tranquilidade que por ali reina, e de todos os miminhos, quer da minha tia, quer das suas colegas... Passam concerteza mais de 15 anos sobre essa altura...

... alguma tristeza... por sentir que nós, que tão distantes temos andado, somos a familia "terrena" dela. Com 74 anos, a sua familia são os irmãos e respectivos descendentes... Não obstante a vocação, que sempre senti como muito forte, imagino que seja duro olhar para a vida e não sentir que estão lá "os seus"...

E ao escrever tudo isto, no meio das minhas correrias, não consigo deixar de pensar como é fácil para mim entender o modo de vida da minha tia... e como lhe seria dificil entender o meu... apesar de sinceramente não conseguir vislumbrar como poderia viver de forma diferente...

Escrevo este post também para me recordar como foi importante para mim este encontro, e para não deixar que o comodismo faça com que volte a passar muito tempo sem lá voltar...

Até sempre
C&C

segunda-feira, 21 de julho de 2008

De malas aviadas

Tenho procurado não pensar muito sobre isso, até porque nos proxímos tempos não se adivinham mudanças... mas às vezes sinto-me cansada de andar todas as semanas de malas atrás de mim, e as vezes mais do que uma vez por semana. E nos ultimos tempos às minhas malas têm-se juntado também as malas do D., na tentativa de passarmos mais algum tempo juntos e de ir aproximando os nossos quotidianos... Não é realmente fácil... E é apenas mais um dos motivos que me faz querer que tudo nos próximos dois anos corra da melhor forma e me permita assumir com tranquilidade a mudança definitiva de terra... Para que nessa altura as malas me passem a acompanhar apenas por motivo de férias...

E agora vou clicar no botão que me faz deixar de pensar no assunto...

Até sempre,
C&C
PS - Conforme fiz questão de lembrar há dias, hoje estive de feriadinho... E a quem por aqui passa informo que a praia estava fraquinha... Tão fraquinha que hoje aconteceu o improvável (quase impossível): dei um mergulho no mar em praia nortenha! Um dia fabuloso na extraordinária companhia da minha filha e da minha mana, que se associou ao feriado da terrinha ao tirar um dia de férias!

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Não há duas... sem mais um polipost!

Parece comédia, mas não é...
Bom, começo por uma referência ao programa que passa na televisão, supostamente sobre futebol, e que versando sobre este tema, conseguiu a proeza de me conseguir manter atenta por mais de 5 minutos. À Liga dos Ultimos, os parabéns pelo fantástico programa sobre os cromos deste pais... e há por aí tantos... e eu bem vejo alguns!

Livros - "Nem as mulheres são tão complicadas nem os homens tão simples"
Autora: Maria Jesus Álava Reyes
Já terminei há uns dias este livro, mas ainda não tinha tido tempo para comentar. A autora é uma psicologa espanhola, com grande experiência no trabalho com casais. No decurso do livro faz referência a imensos casos praticos de casais com os quais trabalhou. Gostei da forma pragmática como os trata. Em alguns casos a conclusão do trabalho foi a separação do casal. Nem sempre é possível recuperar uma relação, e há uma coisa que é obvia, é preciso que exista vontade de ambas as partes...
Foi a este livro que fui buscar o tema do reforço positivo, que me vou esforçar por praticar, não só para mim mesma, mas também para os outros. Como é importante o reconhecimento do esforço alheio, Vem-me à memória o imenso sorriso da senhora do restaurante onde fui agora buscar o jantar, quando fiz um genuino elogio à rapidez com que fui atendida... Acho que não praticamos muito isto, e é afinal uma coisa tão simples.
Diz a autora, e subscrevo, que o primeiro passo para estarmos bem com alguém é estarmos bem com nós próprios... Como ela refere, cada um é responsável pela própria felicidade, mas ela é mais fácil de atingir num casal se este funcionar em equipa.
Achei curiosa a nota que faz sobre a maior facilidade que as crianças mais pequenas têm em enfrentar a separação dos pais. Felizmente sinto isso na minha filha, tal como acredito que se eu e o pai tivessemos feito o esforço de continuarmos juntos por mais algum tempo acabaria por ser pior para ela. Uma criança não ganha nada em conviver diariamente com uma relação desgastada e sem esperança, e não merece o peso nos ombros de ser o motivo pelo qual os pais continuam juntos.
Tinha muitos mais post-its neste livro, em frases que despertaram o meu interesse. Destaco apenas mais uma, para não me alongar muito... Mais uma vez uma coisa tão simples e quase evidente... mas por vezes dificil de colocar em prática: "o afecto gera afecto e produz bem-estar, da mesma forma que o distanciamento potencia as relações frias e faz crescer a semente da hostilidade e o isolamento".
Na verdade, sendo tão simples, é impressionante como tantas pessoas deixam a felicidade passar-lhes ao lado, por se esquecerem de colocar em prática estes princípios.

Pontuação para o livro: 4 valores...

Livros - "Filhos do abandono"
Autora: Torey Haiden

Li o livro desta terapeuta nuns 3 dias. Já é o segundo que leio dela, e gosto quer do estilo de escrita, quer da forma como aborda os temas, que na realidade derivam de experiências reais do trabalho que faz com crianças e jovens.
Neste livro fala de 3 casos que tratou, duas crianças, uma com disturbios psicológicos graves derivados de uma experiência traumatica, outra aparentemente normal, mas que não falava, e era envolvida por um estranho e perturbador contexto familiar, e ainda uma senhora de idade, com a qual foi chamada a trabalhar, porque havia praticamente deixado de falar ou pelo menos de comunicar na sequência de um AVC.
Acho que este tipo de livros me prende particularmente porque penso muitas vezes que se não tivesse escolhido a via académica que escolhi, ou por outro lado, se hoje tirasse um outro curso, seria psicologia. Gosto de observar, perceber, e se possível ajudar as pessoas. Gosto de as entender...

Pontuação para o livro: 4 valores...

Em resposta às lindas palavras

Hoje, de forma algo inesperada (porque aconteceu durante o trabalho e depois de o D me ter dito que estava cheio de coisas para fazer, e porque após o periodo de grande arrebatamento que caracteriza a fase inicial de qualquer relação, este tipo de atitudes tinham de alguma forma esmorecido) fui brindada com um lindo poema de amor. Resisto a publicá-lo, apesar de me ter sido "dado", porque sei que o objectivo era torná-lo só nosso...
Mas, querido D., nesta altura em que sinto que estamos a recuperar a magia inicial, quero dizer-te que espero corresponder a esta (e a outras) atitudes tão bonitas, em cada gesto, em cada palavra, em cada olhar... Adoro-te!

Tempo para mim = poli-posts

Há pessoas que passam a vida a dizer que gostariam de ter tempo para elas. Não sou grande partidária deste tipo de "conversa"... Mas confesso que esta noite me está a saber bem não ter que fazer. Estou a ficar bastante cansada e realmente a precisar de férias. Sinto que a minha filha também está assim, pelo que esta semana com ela não foi fácil. O D. teve hoje um jantar com amigos, e eu vim para minha casa. Ainda consegui estar um bocadinho com a minha filha, apesar de ela hoje ficar com o pai, o que foi simplesmente delicioso e ajuda de forma decisiva ao meu estado de espirito... E agora vou fazer o que mais me apetece... Descansar!

Até sempre,
C&C

domingo, 6 de julho de 2008

Fds na praia...

Alguém me explica porque é que depois de um fim-de-semana de papo para o ar, na prainha e sem fazer outra coisa que não fosse tomar conta da minha princesa, eu me sinto exausta??? E porque é que parece que se passou tanto tempo desde a última sexta-feira???
E porque é que não me consigo convencer de que amanhã é mesmo dia de trabalho, tal a sensação de férias que se apoderou de mim???

Calma M., ainda falta mais de um mês, e vai ser duro...

Mas entretanto, quanto mais relaxados forem os fins-de-semana, melhor, não é?

Até sempre,
C&C

terça-feira, 1 de julho de 2008

Um super-poder

No final de uma noite e de um dia complicado, porque ontem na tranquilidade do meu lar fui invadida por um problema alheio mas de alguém bastante próximo que me deixou sem saber o que fazer ou como ajudar... depois de um jantar em que tentei oferecer a essa pessoa o meu ombro amigo, apesar de a situação não ser nada fácil, por me sentir parte muito vulnerável no meio do contexto... depois de um dia em que constatei ainda mais uma vez que é muito mais fácil divorciarmo-nos de um companheiro do que da sua familia (sendo que de todas as pessoas do mundo e a seguir ao próprio, a irmã do meu ex-marido será a pessoa a quem me é mais dificil dar conselhos matrimoniais)... depois de ser tardissimo, ter tudo por arrumar, estar cheia de sono, e na vespera de uma reunião importante de trabalho e que estou a preparar há semanas... uma frase da minha filha faz-me vir aqui quase no imediato, tal o poder que teve para me fazer recuperar de súbito as energias. Ao deitar, vira-se para mim e diz-me: "és linda, mãe. muito linda... linda e maravilhosa!"

E com este super poder fico a sentir que apesar de tudo, eu sou a mulher mais feliz do mundo, por ter uma filha capaz de me encher o coração desta forma...

E continuando com o auto-reforço positivo, a confiança que a familia mais próxima do meu ex-marido deposita em mim, só pode ser realmente um enorme elogio à minha pessoa...

Até sempre,
C&C

segunda-feira, 30 de junho de 2008

A Festinha em balanço

Finalmente chegou o dia da festa de aniversário grande, como a R. lhe chamava - 29 de Junho.
Com muito calor e perto de 40 pessoas presentes, entre as quais cerca de metade eram crianças cheias de alegria (e energia), lá "aluguei" a casa da minha mãe (visto que a minha "mansão" não tem capacidade para tanta gente). O tema da festa foi, obviamente, princesas, e até tivemos palhaços (surpresa de ultima hora proporcionada pelo pai da R.).
O calor era abrasador, pelo que não pudemos utilizar o espaço exterior da forma como o desejavamos - apenas no final da tarde.
Mas o melhor de tudo foi a alegria que imperou na festa! A R. sempre muito bem comportada e recebendo muito bem toda a gente (valeu o trabalho mental que fiz nos dias anteriores, conhecendo-a como a conheço, em lhe dizer que devia ser simpática com toda a gente ou então para o ano a mãe não faria festa :-))).
Muitos sorrisos, muitas gargalhadas, muitos "ó mãe da R...inha, quero isto ou aquilo".
Às vezes acho q era no meio das crianças que eu me dava bem, adoro-os, tão puros, tão inocentes, alegres, verdadeiros, sempre cheios de energia e de ideias novas! Não consigo até deixar de sorrir (mas apenas interiormente) perante algumas asneiras (o quintal do vizinho cheio de bolas, ou o jogo da macaca q acabou no tecto da casinha do jardim), enquanto faço o meu ar mais circunspecto e com voz de comando lá coloco "as tropas outra vez em sentido".
Por mais cansada que tenha ficado, por mais stress que tenha vivido (não consigo viver estas coisas com leveza, porque detestaria que falhasse um qualquer pormenor), adorei cada momento, bebi cada sorriso e cada gargalhada da minha filha... Cheguei ao fim com a estranha sensação de que tinham começado as férias (isto apesar de ser véspera de 2ª feira e de a semana se adivinhar complicadissima).
Passadas 24 horas os meus pés continuam a doer, as minhas pernas parecem estar pisadas, e ainda há coisas por arrumar... mas está mais que decidido que é para repetir...


E quero deixar o meu agradecimento a quem por aqui passa e que colaborou de alguma forma:
Ao D., por toda a colaboração, mas sobretudo por ter estado presente (sei que não foi fácil).
À minha mana, sem a qual a festa seria bem menos colorida. A decoração estava fabulosa. Obrigada por teres tido a iniciativa e por todo o trabalho. Agora aguardo as fotos, porque no meio de tantas solicitações não consegui tirar muitas... Ah, e também pela tarte de maçã, que infelizmente não cheguei a provar, mas tinha um aspecto delicioso.
Ao meu cunhadinho, pela ajuda audiovisual, e por toda a colaboração, destacando-se a dos balões.
À minha mãe... por continuar a ter paciência para me aturar (acho que sou bem melhor mãe do que filha), pela disponibilidade da casa, e por toda a ajuda, com organização, com arrumação... enfim... por tudo!

E porque acabei de ler um livro que entre outras coisas fala da importância do reforço positivo, tanto aos outros como a nós próprios: a mim mesma... Pela eficiência no tratamento da doçaria, por não ter falhado nenhum pormenor (até me lembrei de levar todos os chapeus da R. para ir colocando nas cabeças das crianças sempre que quisessem ir para o jardim), pelas ideias decorativas que também acrescentei, e por ter estado sempre disponível e pronta a responder com um sorriso a todas as solicitações. Parabéns, M.! Estiveste em grande! Só não precisavas de ter stressado tanto...

Até sempre,
C&C

quinta-feira, 26 de junho de 2008

"Se eu não gostar de mim, quem gostará?"

Numa fase da minha vida em que tenho ouvido quase todos os dias, e de pessoas diferentes, elogios à minha pessoa, que atribuo por um lado à diferença nos padrões de qualidade entre uma cidade grande e uma terriola do interior, e por outro ao facto de que me sinto de bem com a vida e isso acaba por se reflectir exteriormente (se te sentes bem transmites aos outros uma imagem mais positiva de ti mesmo), queria deixar aqui expresso o meu sentido agradecimento a dois queridos amigos e companheiros que me devolvem à realidade… Ao meu espelho e à minha balança, o meu muito obrigada!

(mas que sabe bem ouvir, isso é verdade… eheheh)

Até sempre,
C&C

terça-feira, 24 de junho de 2008

Ri melhor quem ri por último

Sirvo-me deste post para comunicar à imensa hoste de familiares, amigos e afins que hoje se encontram de papo para o ar enquanto eu estou aqui a trabalhar "que nem uma moura", que no dia 21 de Julho (feriado municipal daqui da terrinha) será a minha vez!!!!

Ahahahahahah!!! (riso maquiavélico, tipo raínha má da história da branca de neve)

Até sempre,
C&C

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Presentes

Numa época de tanto consumismo, em que cada vez se privilegia mais aquilo que é caro e complexo, os meus parabéns a quem, sem sequer ter filhos seus (para já :-))), consegue ir à verdadeira essência daquilo que é ser criança, e oferecer à R. uma coisa que a deixou resplandescente de alegria, e a mim com um grande sorriso, de nostalgia pelas brincadeiras do passado, e por poder revivê-las agora ao lado da minha filha.

Estiveste em grande com o jogo da macaca (versão séc- XXI), D.! Adoramos! Muito obrigada!

E já agora, obrigada também à Vó C. (que passa por aqui menos vezes), por ir também à mesma essência, ao reforçar o parque infantil com um fantástico baloiço!

Adoro-vos!
C&C

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Parabéns princesa!

Faz hoje 4 anos que a minha vida ganhou novas cores. Minha princesa, tu és a tela na qual essas cores ganham vida! Parece que foi ontem, e no entanto é quase com espanto que olho para ti e já não vejo a bebé que embalei nos meus braços, o ser minusculo e indefeso que amamentei, e que era totalmente dependente de mim, mas uma menina, cheia de personalidade... com passos pequeninos mas seguros lá foste conquistando o teu espaço no mundo, ganhando o carinho daqueles que te são próximos, e a simpatia de qualquer um que por ti passe, tal é a alegria e a energia positiva que de ti transborda!

E é com muita emoção que, com os olhos atentos de uma "mãe galinha", vou acompanhando esses teus passos. Hoje, no dia do teu quarto aniversário, posso dizer-te que (já) tenho um imenso orgulho em ti!


Parabéns, querida filha!
Um beijo do tamanho do mundo, e ainda assim muito mais pequeno que o amor que sinto por ti!
Mãe

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Dias dificeis - versão infantil

Mal entramos no carro, à saída do infantário, a R. diz-me: "mãe, hoje foi uma semana triste". Fico ao mesmo tempo enternecida com o "semana" em vez de dia, e assustada com o adjectivo. Tristeza e crianças são duas palavras que nunca se deveriam utilizar em conjunto...
"Porquê, filha?", pergunto.
Diz-me ela com uma cara tristissima, "porque os manos não foram à escola e porque não pude ir ao parque infantil".
Após ponderar a gravidade da situação decidi concentrar-me na explicação de que hoje foi um dia, e uma semana são vários... Afinal, é segunda-feira e choveu todo o dia. Porque é que a criança não há-de ter o direito a estar com a neura???

Até sempre,
C&C
PS - Sobre técnicas de adormecimento infantil: tentando chamar-me ao quarto pela décima vez esta noite, pergunta-me: "mãe, é esta semana que eu faço anos?". Sorrio ao verificar que percebeu o conceito de semana. "Sim, filha. E se adormeceres depressa o dia chega muito mais rápido". Resultado: de lá de dentro nem mais um pio. Adormecimento instantâneo. Pena é que esta técnica só resulte esta semana...

domingo, 15 de junho de 2008

A um casal de pombinhos

Faz hoje 10 anos que tudo começou... Felizmente acho que posso dizer que também tive os meus pózinhos de contributo no inicio desta relação. O meu cunhado, em tom de brincadeira, costuma dizer que começou a "namorar" comigo antes de namorar com a minha irmã. E a verdade é que ele me conquistou praticamente desde o momento em que o conheci. Por isso, armada em cupido, costumava dizer à minha irmã "S., namora com o T., ele parece ser tão bom rapaz."
10 anos, e um casamento depois, continuam a ser um lindo casal de pombinhos...
Que a vida preserve os sentimentos que vos unem, e que se mantenham sempre unidos e felizes, com todos os que vos amam bem pertinho para assistir, e eu na primeira fila!
Um beijo enorme e até sempre,
M.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Educação que dá um jeitão!

Porque é enquanto são pequeninos que lhes podemos incutir os bons hábitos, tenho vindo a praticar no seguinte:

"R., por favor leva o casaco da mãe ao quarto"
"R., por favor arruma a tua mochila"
"R., deita esta embalagem na reciclagem"

Responde-me sempre com entusiasmo, e cheia de vontade de ser útil.
Entretanto, cultivam-se os bons hábitos, e posso dar algum descanso a este meu corpinho já tão enferrujado.
E a quem por aqui passar que pretenda acusar-me de exploração infantil, aviso que não há provas... Este post vai auto-destruir-se 5 minutos depois de alguém vir com essas ideias...

Até sempre,
C&C
(tão cansadinha, que me apetece dizer: R, por favor veste-me o pijama e põe-me na cama! Eheheh!)
(ah, e caso passe por aqui alguém sem sentido de humor, juro que estou a brincar)

PS - Viva Portugal!!!
PS2 - E agora vou em corrida para a caminha que prometi a mim mesma que hoje nada seria desculpa para eu me deitar tarde...