Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

E às vezes...

... é subtil a forma através da qual se manifestam as grandes mudanças na nossa vida...


Até sempre,

Cookie

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Realmente... parece tão simples...


Até sempre,

Cookie

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Post com bolinha no canto para um grande anormal

Este post é para o verme ranhoso que anda a mandar SMS's anónimas para o meu marido, na tentativa de semear entre nós a desconfiança e o ciume.
Sei quem tu és! Foste tão burro (sem ofensa para os burros) que lhe mandaste as mensagens nos dias em que entravas em contato comigo, e inclusivamente repetindo expressões. Vou-te dar uma grande novidade, sua lesma acéfala: uma relação saudável tem alicerces sólidos, confiança, respeito, companheirismo, cumplicidade. Coisas que certamente desconheces. Essa tua estratégia cobarde e ainda por cima tão descuidada só não te deixaria com os pés de fora se houvesse segredos entre mim e o meu marido. Não há, sua grande besta. Podes continuar a enviar-lhe mensagens, estás à vontade. Não vai resultar em nada, aliás, entre nós os dois, tudo o que resultou disto foi positivo. Também podes continuar a chagar-me a paciência com as tuas ridiculas e sistemáticas tentativas de aproximação. Felizmente a tecla DELETE do computador e o botão de desligar chamadas do meu telemóvel funcionam muito bem. Já há muito te tinha apagado da minha vida, e foi tão simples. Descubro agora que o erro não foi apagar-te, foi voltar a falar contigo. És falso e tens um nível tão baixo que nem o meu ódio mereces. Apenas o meu total e absoluto desprezo.
Para ti, seu anormal nojento, até nunca mais.

E como sempre, desta situação retirei os meus ensinamentos: em primeiro lugar, que os alicerces do meu casamento são realmente fortes, a confiança é mútua e não vale a pena perderem tempo a tentar separar-nos; em segundo, há pessoas que não merecem um segundo do nosso tempo.

Aos restantes leitores do blog, peço desculpa por este post, que se justifica apenas porque a cobardia implicita no anonimato das SMS's me impede de abordar diretamente a pessoa. E acreditem que por respeito a vós me contive nos insultos. Tinha vontade de fazer muito mais e muito mais fortes.

Para todos os que respeitam a palavra amizade, até sempre,
Cookie

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Do terramoto...

Então (parece que) o terramoto foi de pouca dura. Agora só nos temos que preocupar com as eventuais réplicas, e tentar controlar a sua intensidade, dentro do possível. Depois de tudo, ainda só vamos no dia 6 de Janeiro e parece que já passou mais que um mês, tal a intensidade com que este ano começou.

Como dizia há dias é com os problemas que se aprende, e há sempre algo de positivo que resulta daquilo que aconteceu... E este caso não foi exceção. Foi uma excelente oportunidade para comprovar que estou a conseguir controlar muito melhor a minha impulsividade. Estou mais ponderada, controlada, consigo pensar antes de falar. Não era assim e por motivos que não vou explicar tinha medo dessa minha caracteristica de personalidade. Não sei se esta ponderação veio com a idade, se com a estabilidade sentimental, se veio com as dificuldades profissionais que a isso obrigam, pelo menos em contexto laboral. Sei que estou bem melhor e perceber isso foi muito bom para mim.

Por outro lado, nada como uma boa crise familiar para perder o apetite. Que o digam os 2 quilos que perdi esta semana. O vestido de cerimónia que vou levar ao casamento de amanhã, por certo que agradece... :-)


Até sempre,

Cookie

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Abraço

E ontem, se que nada o fizesse prever, aquele abraço, retraído, perdido na soma de muitos anos de ressentimentos, de feridas por cicatrizar... aconteceu. Intenso, prolongado, verdadeiro... sentido.

Pudesse eu proteger-te nesse abraço contra qualquer fonte de sofrimento, e transformar em realidade o meu desejo de que também tu, ainda, tenhas oportunidade para ser feliz...


Até sempre,

Cookie

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

No inicio de 2012, gostava de dizer...

... que não vou deixar que nada nem ninguém perturbem a minha felicidade. Passei as passas do Algarve, já sofri muito, chorei muito, já me desiludi, já percebi que coisas que pareciam sonhos afinal eram pesadelos dos quais não conseguia acordar. Por muitas vezes já me perguntei "mas porquê a mim", já várias vezes me assustei em momentos de acalmia por pensar "o que é que será que me vai acontecer agora". Já vivi as minhas dores e as dos que me são queridos. Já engoli muitos sapos. Já tentei comprender o incompreensível, já tentei aceitar o inaceitável. Já aceitei que as pessoas não são perfeitas, e já me surpreendi ao perceber a dimensão das suas imperfeições. Já fingi não saber de coisas para não assumir o peso de verdades demasiado dolorosas, e cujas consequências teriam que ser dramáticas...enquanto chorava em silêncio.

Já me surpreendi com a frieza, a objetividade e o sentido prático que fui ganhando ao lidar com situações delicadas. Sem dúvida que é com as coisas más que se aprende, que nos tornamos pessoas mais fortes e mais resistentes. Não sei se seria capaz de retirar ensinamentos das coisas boas se não tivesse passado por tantas experiências negativas. Mas assumi um lado frio e duro que (infelizmente) descobri que tenho... e que às vezes me assusta.

Sei bem quais são as cruzes que tenho que carregar e já não me surpreendo quando o peso delas se torna subitamente mais evidente e quase impossível de suportar.

Eu vou continuar a ser feliz. Porque tenho na minha vida tudo o que preciso para isso. O resto... bem, o resto são as tais pedras no caminho, que vou recolhendo e com as quais estou a construir o meu castelo. Com calma, serenidade, inteligência e bom senso... eu terei capacidade de enfrentar qualquer batalha... mais esta batalha...



Até sempre,

Cookie