Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

A familia já cresceu

Pensava eu que a familia só iria crescer em Abril, mas afinal, de forma surpreendente, já somos mais cá em casa...
O avó da R., decidiu oferecer-lhe um piriquito, e qual não foi o meu espanto, ao chegar a casa dele para a ir buscar, quando percebi que afinal a ideia não era o piriquito ficar lá ou para casa do pai, era vir para aqui... um pouco espantada, mas já a adorar a ideia, porque achei lindo aquele animalzinho pequenino, lá fui captando as informações que me deram sobre como o deveria tratar.
E assim, foi, temos um novo membro na familia, que por escolha da R se chama Serafim, e que contamos estimar com a ajuda da Vó C., para o alimentar nos dias em que não estamos cá... e que me parece que até achou piada à ideia, porque disse logo que tinhamos que lhe arranjar companhia...
Para já está muito timido e parado, simplesmente a observar o ambiente. Espero que em breve se sinta integrado, e à vontade para cantar, ou simplesmente para comer e beber, que até agora não tocou em nada.
Bem-vindo a casa, Serafim! À parte a surpresa inicial estou muito feliz por te ter aqui, porque sempre quis um animal de estimação, principalmente nesta nova casa, e sempre fui arranjando desculpas para não o ter!

Até sempre,
C&C

domingo, 21 de setembro de 2008

A precisar de fim-de-semana


812 kms depois de ter começado o fim-de-semana, estou de regresso a casa... Estou fisica e até mentalmente cansada, mas com a sensação do dever cumprido. A minha avó, de 81 anos, está entregue em casa da filha mais nova, em Lisboa, e (quem a conhece e as suas ininterruptas queixas compreenderá como foi bom para mim ouvir isto) hoje ao sair disse-me que estava bem, que não lhe doia nada da viagem, e que o carro era muito confortável. Fiquei contente, porque tinha uma missão dificil (uma viagem relativamente grande técnicamente acompanhada de duas crianças, já que fui também com a minha filha) e consegui desempenhá-la bem e tranquilamente. Foi a primeira vez que fiz a viagem de carro e sendo a unica condutora. Felizmente os meus muitos kms diários, fazem com que tenha a perfeita noção de que o nosso pais é muito pequeno, pelo que a viagem não assusta tanto assim.

Para além disso, foi também muito bom estar novamente com a minha madrinha, e com o meu tio. Com a madrinha pude "desenferrujar a lingua" e ter daquelas enormes conversas em que não se dá conta do tempo passar, com o meu tio senti que finalmente se está a quebrar aquela barreira que se criou com a minha separação.

No regresso, e porque normalmente tento agradar a todos, apesar de a minha vontade ser "aterrar em casa", ainda passei com a R. em casa da tia (irmã do pai), que hoje fazia anos. Fui bem recebida (como sempre, e diria até como cada vez mais). Quando tentava convencer a R a voltarmos para casa ela disse-me que queria ficar com o pai. Cansada demais para discutir por causa desse assunto, disse-lhe que o poderia fazer, desde que o pai pudesse ficar com ela. E assim foi... E apesar de sentir a falta dela e a casa estupidamente vazia, estou a tentar olhar para a situação pelo lado positivo... preciso realmente de uma boa noite de sono, e de descanso... e desta forma só tive mesmo que tratar de mim...


Bom, e mais uma vez já me alonguei... e já está na hora que planeei para me deitar... que eu agora estou empenhada em fazer planeamento de muitas coisas na minha vida e seguir as regras... Depois conto as minhas ideias mais em pormenor.


Até sempre,

C&C

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Os compadres...


Até sempre,
C&C
(a caminho da caminha para tratar do meu futuro)

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Curioso...


Ontem antes de ir dormir, de repente lembrei-me de uma coisa... e fiquei realmente surpreendida, sendo eu uma mulher que pensa bastante, sobre tudo e sobre nada, por nem sequer me ter ocorrido antes tal pensamento...

Fez também anos no dia do meu aniversário, anteontem (8 anos), que estava eu a entrar na igreja vestida de noiva, cheia de sonhos e ilusões... Ainda me lembro de algumas pessoas, quando lhes disse na altura que tinha escolhido o dia de aniversário para casar, acharem estranho, e fazerem comentários do género "assim vais perder uma festa", enquanto eu pensava que o que elas estavam realmente a achar era que se as coisas não corressem bem, eu ia ter uma associação triste a uma data feliz...

E como acima escrevi, registo com curiosidade e até alguma surpresa, que realmente não é assim. As datas têm o significado que lhes queremos dar e para mim o 16-09 é o dia em que celebro o meu aniversário. E, na verdade, há 8 anos atrás, foi um aniversário especial, e foi um dia muito feliz... Não guardo desse dia outras memórias, por mais voltas que a vida tenha dado entretanto.
Confesso que fiquei contente, e por isso registo aqui, por me ter esquecido completamente...

Até sempre,
C&C

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Ideias soltas

  • Sou só eu a achar que andam a gozar com a minha cara com esta história dos preços dos combustíveis? Será que alguém fica realmente convencido que com uma redução tão acentuada dos preços do barril de petroleo, o custo dos combustíveis não segue nem de perto a mesma tendência? E hoje ainda há petroliferas a ter o atrevimento de aumentar preços???

  • Resolução de "idade nova": estar com aquelas pessoas de quem gosto tanto, em que os diferentes rumos que as nossas vidas levaram acabaram por nos afastar. Nada justifica que só nos aniversários falemos com essas pessoas. Por mais ocupada que seja a nossa vida, é tudo uma questão de planeamento, como costuma lembrar-me a minha mana, e também aquela frase tão simples, penso que era de um anuncio da Swatch (as lições de vida que se retiram da publicidade... eheh) - tempo é o que se faz com ele". Passando da teoria à pratica, já hoje propus uma data para um jantar com duas amigas e ex-colegas. Vou continuar pelos meus tios emigrantes que estão cá em Portugal, e a seguir pela minha melhor amiga dos tempos de colégio. Talvez passando depois por um convivio com os amigos do tempo da faculdade... Bom, pelo menos a intenção cá fica!

  • Ainda sobre a idade nova, foi engraçado ver as pessoas que tiveram o descaramento de me perguntar a idade que eu fiz a acreditarem (basicamente) em tudo o que lhes dizia que não fosse totalmente disparatado... posso passar perfeitamente por ter 28 anos... p/ quem vê mal e n se lembra q tenho uma filha com 4 anos!

  • Blogueando por aí: lá fui espreitar o cantinho na net que ontem me confiaram... e foi muito engraçado ver-me por lá, coisas que disse, reacções que tive. Muito giro "ler-me" pelos olhos de outra pessoa!

  • Atenção - ouvidos de criança à escuta: hoje ao jantar comentava com o D. uma situação aborrecida pela qual passei (a equipa passou) hoje no local de trabalho. A certa altura referi que alguém era má pessoa. A R. parecia estar entretida com o seu prato, mas de repente pergunta-me: "mas porque é que ele é má pessoa?". E eu lá lhe estive a tentar explicar com suavidade, ao mesmo tempo que pensava que tenho mesmo que ter cuidado com as conversas que tenho à frente dela...

Bom, mais poderia dizer, mas fico-me por aqui. Tenho o meu principe ao meu lado, a minha filha a dormir tranquilamente, e mais uma vez estou feliz, sou uma mulher de sorte, porque tenho quem eu quero junto a mim!


Até sempre

C&C

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Parafraseando uma amiga blogueira...

... Parabéns... a mim!

32 anos de vida que hoje se completam, com muitos motivos para festejar...

... estou aqui, viva, de saúde (eu e os meus) e feliz... tenho amigos, tenho tranquilidade a todos os níveis. Estou satisfeita com o que alcancei até ao momento e determinada em seguir o meu caminho...

... sou lembrada, por muitas pessoas, algumas de quem confesso que nem sequer sei (ou até acho que nunca soube) a data de aniversário... recordo-me como uma lembrança é importante, e prometo a mim mesma tentar atenuar este defeito. Adoro sentir que neste dia se lembram de mim, e quero dar aos outros a mesma alegria...

... tenho uma filha que já é capaz de me escolher presentes, que simplesmente amei, porque foi ela, com o seu gosto, e as suas ideias determinadas, com a ajuda da minha querida mana, que tratou da compra, numa perfeita e doce surpresa...

... a familia está a crescer. Hoje à mesa do jantar já estava mais um elemento à mesa, que apesar de em termos fisicos apenas dar um ténue sinal da sua presença, já conquistou o seu enorme espaço no coração da familia!

... contaram-me um segredo... uma prova de confiança de alguém que amo incondicionalmente e a quem sei que já nem preciso de mostrar que realmente a mereço...

... revi velhos amigos... Apesar de ter passado grande parte do dia incontactável (estava em formação), estive no local onde trabalhei anteriormente, pelo que num dia especial, revi antigas caras do dia-a-dia das quais agora tenho tantas saudades...

Vou-me deitar com o coração cheio de amor, sorridente e feliz! Obrigada a quem contribuiu para esta alegria!

Até sempre,

C&C

domingo, 14 de setembro de 2008

Os livros das férias

Como prometido, cá vai um post com um breve comentário aos livros que li durante as férias:
Pais brilhantes, professores fascinantes - Augusto Cury
Um livro escrito pelo psquiatra Augusto Cury, sobre educação (dos filhos ou dos alunos). Fornece pistas aos educadores, para que estes cultivem a inteligência e a emoção. Pontuação para o livro: 3 valores. Confesso que me desiludiu um pouco...



Venenos de Deus, remédios do Diabo - Mia Couto

Um médico português vai até à recondita Vila Cacimba, em Moçambique, procurando uma mulata moçambicana por quem se havia apaixonado. O enredo desenvolve-se pelo meio do mistério que envolve o seu não aparecimento, enquanto o médico se vai envolvendo nos segredos das histórias não contadas da vila.

Uma história algo confusa, mas contada de uma forma que prende o leitor, num texto repleto de mensagens, de frases cheias de significado.

Pontuação para o livro: 4 valores

Os retornados - Um amor nunca se esquece - Júlio Magalhães

Comprei este livro pelo titulo, nem o subtitulo nem o autor me despertavam especial interesse. Não tenho qualquer ligação às ex-colónias, nem sequer sou próxima de pessoas que lá tenham estado, mas acho especialmente tocante e interessante este periodo da nossa história. E confesso quue as ex-colónias sempre me atrairam, vejo neste momento tantas pessoas a partirem para trabalhar em Angola e penso que se um dia emigrasse, este era um dos destinos possíveis. Africa atrai-me... claro que já nada é como antigamente, os portugueses que lá viveram falam da sua vida como de abundancia, sem stresses nem pressas, com um clima fantástico, com um nível de progresso que era nessa altura superior ao da metropole...

Bom, mas estou-me a dispersar... Quanto ao livro... enfim, um tema tão rico mereceria mais do que uma história de amor forçada e previsivel, escrita de uma forma quase infantil. Lamento, mas é a minha opinião.

Pontuação para o livro: 3 valores, pelo tema, porque se lê bem. Pelo conteudo mereceria menos...

Caffé Amore - Nicky Pellegrino

Já tinha em tempos lido o segundo romance desta escritora, A filha do pescador, de que também gostei muito. Por este motivo tive curiosidade em ler o primeiro, o livro que deu o reconhecimento mundial a Nicky Pellegrino. É um belo romance, um enredo que prende da primeira à ultima página. Levei este livro para Ibiza, pensando que iria lê-lo nos sete dias das férias. A verdade é que acabei por o ler em três noitadas e depois fiquei sem nada para ler...

Pontuação para o livro: 4 valores!

Até sempre,

C&C

sábado, 13 de setembro de 2008

Recordando dias de sonho

Pois como prometido e apesar de andar desinspirada, aqui fica um post relembrando as férias, entre a doce vida em VCO, sem a pressão dos horários, com o tempo quase sempre convidando à praia, com a R. finalmente aventurando-se na calma água do mar quando a maré está vazia. Lembrando também o unico dia em que conseguimos que fosse à água com a maré mais cheia, em que saltando cheia de alegria nas ondas, ía repetindo: "eu não tenho medo! eu não tenho medo!".
Lembrando também a semana de férias em Ibiza, para onde voamos os três num avião da Spanair (pela primeira vez, que medo...). No momento da decolagem eu fui com a minha mão ao encontro da R., tendo a reacção dela, pronta e decidida, sido: "mãe, não precisas de me dar a mão, que eu não tenho medo". As praias de mar calmo de Ibiza, ilha que tanto me surpreendeu pela positiva. A R. dia após dia a ganhar uma paixão crescente pelo mar (que em quase todas as praias que fomos conhecer era mais uma enorme piscina de água salgada e quentinha), que nos ultimos dias já a levava a aventurar-se sem braçadeiras. A doce companhia do D., sempre tão atencioso, divertido, carinhoso, a cumplicidade crescente dele com a R....
O regresso mais uma vez na Spanair, passando bem ao lado de um enorme susto, porque o avião que nos deveria ter levado, tinha aterrado horas antes em Mallorca de emergência. Menos doloroso porque como já referi, ao chegar tive uma fabulosa noticia, à qual dedicarei um post completo, num dia em que a inspiração esteja melhor...
O inicio de um novo periodo, depois de três semanas de descanso (às vezes acho que o ano devia oficialmente começar no fim das férias), cheio de determinação, de vontade de organizar melhor a minha vida e de ir estabilizando progressivamente... E o chegar ao fim da primeira semana já completamente cansada... o que deverá acontecer até que o meu ritmo esteja novamente adaptado às exigências do dia-a-dia.
Até sempre,
C&C
PS - Porque as férias também representam uma boa oportunidade para por a leitura em dia, tenho 4 livros para comentar, aos quais dedicarei um post unico daqui por uns dias...

domingo, 7 de setembro de 2008

Só para marcar presença

Hoje é o doloroso ultimo dia antes do regresso ao trabalho, e como apenas ontem regressei a casa (desde o inicio de Agosto acho que só passei cá duas noites) tenho andado por aqui a tentar organizar minimamente as coisas. Ainda há muito para fazer, até porque tive hoje a familia mais próxima a almoçar por cá, por isso só venho aqui mesmo para marcar presença. Há muito para dizer e contar, mas fica para outro dia...
Tive uma recente grande noticia, que mudou o meu mundo, e que no dia em que estava a regressar de Ibiza, e ao mesmo tempo o pai da R. a tinha ido buscar, tendo eu passado de repente de estarmos 24 horas por dia juntas para estar a quase 100 kms de distância dela, me deixou com um enorme e persistente sorriso nos lábios... Resisto a partilhá-la porque não tive autorização dos intervenientes para tal, mas quero apenas dizer que estou enormemente feliz. E desde já agradecer a quem me proporcionou tamanha alegria!!! E já agora, posso contar??? Posso? Posso???
Até sempre,
C&C