Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

segunda-feira, 30 de junho de 2008

A Festinha em balanço

Finalmente chegou o dia da festa de aniversário grande, como a R. lhe chamava - 29 de Junho.
Com muito calor e perto de 40 pessoas presentes, entre as quais cerca de metade eram crianças cheias de alegria (e energia), lá "aluguei" a casa da minha mãe (visto que a minha "mansão" não tem capacidade para tanta gente). O tema da festa foi, obviamente, princesas, e até tivemos palhaços (surpresa de ultima hora proporcionada pelo pai da R.).
O calor era abrasador, pelo que não pudemos utilizar o espaço exterior da forma como o desejavamos - apenas no final da tarde.
Mas o melhor de tudo foi a alegria que imperou na festa! A R. sempre muito bem comportada e recebendo muito bem toda a gente (valeu o trabalho mental que fiz nos dias anteriores, conhecendo-a como a conheço, em lhe dizer que devia ser simpática com toda a gente ou então para o ano a mãe não faria festa :-))).
Muitos sorrisos, muitas gargalhadas, muitos "ó mãe da R...inha, quero isto ou aquilo".
Às vezes acho q era no meio das crianças que eu me dava bem, adoro-os, tão puros, tão inocentes, alegres, verdadeiros, sempre cheios de energia e de ideias novas! Não consigo até deixar de sorrir (mas apenas interiormente) perante algumas asneiras (o quintal do vizinho cheio de bolas, ou o jogo da macaca q acabou no tecto da casinha do jardim), enquanto faço o meu ar mais circunspecto e com voz de comando lá coloco "as tropas outra vez em sentido".
Por mais cansada que tenha ficado, por mais stress que tenha vivido (não consigo viver estas coisas com leveza, porque detestaria que falhasse um qualquer pormenor), adorei cada momento, bebi cada sorriso e cada gargalhada da minha filha... Cheguei ao fim com a estranha sensação de que tinham começado as férias (isto apesar de ser véspera de 2ª feira e de a semana se adivinhar complicadissima).
Passadas 24 horas os meus pés continuam a doer, as minhas pernas parecem estar pisadas, e ainda há coisas por arrumar... mas está mais que decidido que é para repetir...


E quero deixar o meu agradecimento a quem por aqui passa e que colaborou de alguma forma:
Ao D., por toda a colaboração, mas sobretudo por ter estado presente (sei que não foi fácil).
À minha mana, sem a qual a festa seria bem menos colorida. A decoração estava fabulosa. Obrigada por teres tido a iniciativa e por todo o trabalho. Agora aguardo as fotos, porque no meio de tantas solicitações não consegui tirar muitas... Ah, e também pela tarte de maçã, que infelizmente não cheguei a provar, mas tinha um aspecto delicioso.
Ao meu cunhadinho, pela ajuda audiovisual, e por toda a colaboração, destacando-se a dos balões.
À minha mãe... por continuar a ter paciência para me aturar (acho que sou bem melhor mãe do que filha), pela disponibilidade da casa, e por toda a ajuda, com organização, com arrumação... enfim... por tudo!

E porque acabei de ler um livro que entre outras coisas fala da importância do reforço positivo, tanto aos outros como a nós próprios: a mim mesma... Pela eficiência no tratamento da doçaria, por não ter falhado nenhum pormenor (até me lembrei de levar todos os chapeus da R. para ir colocando nas cabeças das crianças sempre que quisessem ir para o jardim), pelas ideias decorativas que também acrescentei, e por ter estado sempre disponível e pronta a responder com um sorriso a todas as solicitações. Parabéns, M.! Estiveste em grande! Só não precisavas de ter stressado tanto...

Até sempre,
C&C

quinta-feira, 26 de junho de 2008

"Se eu não gostar de mim, quem gostará?"

Numa fase da minha vida em que tenho ouvido quase todos os dias, e de pessoas diferentes, elogios à minha pessoa, que atribuo por um lado à diferença nos padrões de qualidade entre uma cidade grande e uma terriola do interior, e por outro ao facto de que me sinto de bem com a vida e isso acaba por se reflectir exteriormente (se te sentes bem transmites aos outros uma imagem mais positiva de ti mesmo), queria deixar aqui expresso o meu sentido agradecimento a dois queridos amigos e companheiros que me devolvem à realidade… Ao meu espelho e à minha balança, o meu muito obrigada!

(mas que sabe bem ouvir, isso é verdade… eheheh)

Até sempre,
C&C

terça-feira, 24 de junho de 2008

Ri melhor quem ri por último

Sirvo-me deste post para comunicar à imensa hoste de familiares, amigos e afins que hoje se encontram de papo para o ar enquanto eu estou aqui a trabalhar "que nem uma moura", que no dia 21 de Julho (feriado municipal daqui da terrinha) será a minha vez!!!!

Ahahahahahah!!! (riso maquiavélico, tipo raínha má da história da branca de neve)

Até sempre,
C&C

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Presentes

Numa época de tanto consumismo, em que cada vez se privilegia mais aquilo que é caro e complexo, os meus parabéns a quem, sem sequer ter filhos seus (para já :-))), consegue ir à verdadeira essência daquilo que é ser criança, e oferecer à R. uma coisa que a deixou resplandescente de alegria, e a mim com um grande sorriso, de nostalgia pelas brincadeiras do passado, e por poder revivê-las agora ao lado da minha filha.

Estiveste em grande com o jogo da macaca (versão séc- XXI), D.! Adoramos! Muito obrigada!

E já agora, obrigada também à Vó C. (que passa por aqui menos vezes), por ir também à mesma essência, ao reforçar o parque infantil com um fantástico baloiço!

Adoro-vos!
C&C

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Parabéns princesa!

Faz hoje 4 anos que a minha vida ganhou novas cores. Minha princesa, tu és a tela na qual essas cores ganham vida! Parece que foi ontem, e no entanto é quase com espanto que olho para ti e já não vejo a bebé que embalei nos meus braços, o ser minusculo e indefeso que amamentei, e que era totalmente dependente de mim, mas uma menina, cheia de personalidade... com passos pequeninos mas seguros lá foste conquistando o teu espaço no mundo, ganhando o carinho daqueles que te são próximos, e a simpatia de qualquer um que por ti passe, tal é a alegria e a energia positiva que de ti transborda!

E é com muita emoção que, com os olhos atentos de uma "mãe galinha", vou acompanhando esses teus passos. Hoje, no dia do teu quarto aniversário, posso dizer-te que (já) tenho um imenso orgulho em ti!


Parabéns, querida filha!
Um beijo do tamanho do mundo, e ainda assim muito mais pequeno que o amor que sinto por ti!
Mãe

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Dias dificeis - versão infantil

Mal entramos no carro, à saída do infantário, a R. diz-me: "mãe, hoje foi uma semana triste". Fico ao mesmo tempo enternecida com o "semana" em vez de dia, e assustada com o adjectivo. Tristeza e crianças são duas palavras que nunca se deveriam utilizar em conjunto...
"Porquê, filha?", pergunto.
Diz-me ela com uma cara tristissima, "porque os manos não foram à escola e porque não pude ir ao parque infantil".
Após ponderar a gravidade da situação decidi concentrar-me na explicação de que hoje foi um dia, e uma semana são vários... Afinal, é segunda-feira e choveu todo o dia. Porque é que a criança não há-de ter o direito a estar com a neura???

Até sempre,
C&C
PS - Sobre técnicas de adormecimento infantil: tentando chamar-me ao quarto pela décima vez esta noite, pergunta-me: "mãe, é esta semana que eu faço anos?". Sorrio ao verificar que percebeu o conceito de semana. "Sim, filha. E se adormeceres depressa o dia chega muito mais rápido". Resultado: de lá de dentro nem mais um pio. Adormecimento instantâneo. Pena é que esta técnica só resulte esta semana...

domingo, 15 de junho de 2008

A um casal de pombinhos

Faz hoje 10 anos que tudo começou... Felizmente acho que posso dizer que também tive os meus pózinhos de contributo no inicio desta relação. O meu cunhado, em tom de brincadeira, costuma dizer que começou a "namorar" comigo antes de namorar com a minha irmã. E a verdade é que ele me conquistou praticamente desde o momento em que o conheci. Por isso, armada em cupido, costumava dizer à minha irmã "S., namora com o T., ele parece ser tão bom rapaz."
10 anos, e um casamento depois, continuam a ser um lindo casal de pombinhos...
Que a vida preserve os sentimentos que vos unem, e que se mantenham sempre unidos e felizes, com todos os que vos amam bem pertinho para assistir, e eu na primeira fila!
Um beijo enorme e até sempre,
M.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Educação que dá um jeitão!

Porque é enquanto são pequeninos que lhes podemos incutir os bons hábitos, tenho vindo a praticar no seguinte:

"R., por favor leva o casaco da mãe ao quarto"
"R., por favor arruma a tua mochila"
"R., deita esta embalagem na reciclagem"

Responde-me sempre com entusiasmo, e cheia de vontade de ser útil.
Entretanto, cultivam-se os bons hábitos, e posso dar algum descanso a este meu corpinho já tão enferrujado.
E a quem por aqui passar que pretenda acusar-me de exploração infantil, aviso que não há provas... Este post vai auto-destruir-se 5 minutos depois de alguém vir com essas ideias...

Até sempre,
C&C
(tão cansadinha, que me apetece dizer: R, por favor veste-me o pijama e põe-me na cama! Eheheh!)
(ah, e caso passe por aqui alguém sem sentido de humor, juro que estou a brincar)

PS - Viva Portugal!!!
PS2 - E agora vou em corrida para a caminha que prometi a mim mesma que hoje nada seria desculpa para eu me deitar tarde...

terça-feira, 10 de junho de 2008

A minha próxima vida

Partilho hoje um texto de Woody Allen, que me enviaram por e-mail (cunhadinho, depois manda a conta dos direitos... eheheh). Uma forma interessante de olhar para a vida.

"Na minha próxima vida quero vivê-la de trás para a frente. Começar morto para despachar logo esse assunto. Depois acordar num lar de idosos e sentir-me melhor a cada dia que passa. Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a pensão e começar a trabalhar, receber logo um relógio de ouro no primeiro dia. Trabalhar 40 anos até ser novo o suficiente para gozar a reforma. Divertir-me, embebedar-me e ser de uma forma geral promíscuo, e depois estar pronto para o liceu. Em seguida a primária, fica-se criança e brinca-se. Não temos responsabilidades e ficamos um bébé até nascermos. Por fim, passamos 9 meses a flutuar num spa de luxo com aquecimento central, serviço de quartos à descrição e um quarto maior de dia para dia e depois Voila! Acaba como um orgasmo! I rest my case."
Até sempre,
C&C

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Lógicas da 3ª idade

Conversa aqui há dias com a minha avó. Dizia-me ela: “A Sónia (apresentadora da praça da Alegria, que a minha avó aprecia particularmente) começou agora a fazer ginástica no programa, para os velhinhos acompanharem em casa. Por causa disso, está a ficar magrinha como um palito…”
Pena é que os meus horários laborais não me permitam assistir ao programa e fazer também essa milagrosa ginástica de velhinhos … eheheh

Acho que foi mais ou menos pela mesma lógica que desta vez ela me disse: “estás magrinha” (eu tinha-lhe dito que ia começar a fazer dieta).
Pena é que a teimosa da balança teime em desmentir esta realidade…

Até sempre,
C&C

domingo, 8 de junho de 2008

Um dia de festa

Porque, como dizem, uma imagem vale mais do que mil palavras, deixo hoje aqui no blog uma imagem da princesa com um enorme sorriso, nas marchas integradas nas festas da cidade. Faço-o com vista para um fogo de artificio monumental, ao qual assisto como espectadora privilegiada, da janela da minha sala.
Parabéns R., mais uma vez foste maravilhosa e deixaste a mãe de lágrima no olho, de tanto orgulho!
Até sempre,
C&C

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Parabéns!

Não que ela faça uma pálida ideia do que é um blog, ou a internet. Na verdade, nem sequer sabe ler ou escrever.
Mas é sem dúvida uma mulher de armas, a minha avó materna, que hoje completou 81 anos. Uma vida cheia de percalços... de saúde, familiares... e tem sabido ultrapassá-los a todos de uma forma sem igual. Pena é que a familia não se saiba unir mais em torno da nossa matriarca, e aproveitar bem a sua presença, enquanto a temos...
Por isso aqui fica a minha homenagem à minha querida avó!
E agora vou dormir, que amanhã é um dia importante. A R. marcha nas festas da cidade. E eu lá estarei, uma vez mais a rebentar de orgulho.
Até sempre,
C&C

terça-feira, 3 de junho de 2008

Esclarecimento


Antes que me esqueça, um esclarecimento (para que não me voltem a acusar de não andar a colocar as letras pequenas nos posts): a dieta está suspensa... Até que deixem de fabricar coisas com açucar no mundo... Ou então, até que eu deixe mesmo de conseguir passar pelas portas...


E com esta aprendo a não partilhar os meus objectivos mais ambiciosos (diria mesmo ultra ambiciosos e muito para além de qualquer expectativa minimamente realizável), nesta janelinha para o mundo...


Até sempre (a engooooooorrrrrrdaaaaaaarrrrrrrrrrrrrrrrr)

C&C

Livros - A formula de Deus II


Gostei especialmente desta passagem do livro, que aqui reproduzo. É um excerto da ultima conversa entre Tomás (o protagonista) e o pai (que se encontrava doente, em fase terminal):

"oh, sim. Muita gente não sabe o que procura."..." a maior parte das pessoas passa por esta vida como se fosse sonambula, percebes? Querem possuir coisas, fazer dinheiro, consumir tudo. As pessoas estão tão inebriadas com o acessório que perdem de vita o essencial. Desejam um novo carro, uma casa maior, umas roupas mais vistosas. Querem perder peso, tentam agarrar a juventide, sonham em impressionar os outros."... "Sabes por que o fazem?"... "Porque têm fome de amor. Têm fome de amor e não o encontram. É por isso que se voltam para o acessório. Os carros, as casas, as roupas, as jóias... tudo isso são substitutos. Não têm amor e procuram substitutos."..."Mas isso não resulta. O dinheiro, o poder, a posse de coisas... nada substitui o amor. É por isso que quando compram um carro, uma casa, uma peça de roupa, a satisfação que sentem é efemera. Acabaram de comprar mas procuram já um novo carro, uma nova casa, uma nova peça de roupa. Procuram algo que não está ali." ... " Nenhuma dessas coisas traz satisfação duradoura porque nenhuma dessas coisas é verdadeiramente importante. Estão todos com pressa à produra de algo que não encontram. Quando compram o que querem, descobrem que se sentem vazios. É porque o que compraram não era afinal o que queriam. Querem amor, não querem coisas. As coisas não passam de substitutos, de acessórios que mascaram o essencial."


Fez-me lembrar o principezinho: "Só se vê bem com os olhos do coração, o essencial é invisível para os olhos."


Obrigada aos poucos (mas bons) que fizeram com que não fosse preciso eu ler estas palavras para tomar consciência desta realidade.


Até sempre,


C&C

Livros - A casa quieta

Autor: Rodrigo Guedes de Carvalho

Penso já ter por aqui referido que não estava a gostar muito deste livro... Aliás, já o tinha tentado ler há uns anos sem sucesso. Acho a história deprimente, e o estilo de escrita muito confuso.

Fiquei contente por desta vez o ter conseguido terminar, mas será um escritor para não repetir. Lamento, RGC... mas não estás no meu rol.

Pontuação para este livro: 2 valores

Até sempre,

C&C


segunda-feira, 2 de junho de 2008

Algum dia tinha que ouvir isto

Vamos no carro a caminho de umas compritas. Sem qualquer propósito, a R. vira-se para mim e pergunta:

R. - Ó mãe, quando é que ficas "gárvrida"?
M., já a rir - Mas porquê, filha?
R. - Porque eu queria muito ter um mano.
M. - Ai sim, filha? Então, e preferias um mano ou uma mana?
R., como se fosse a única resposta possível - Mãe, eu quero dos dois!

Desculpem, mas correndo o risco de deixar este blog a correr de baba, tenho mesmo que começar a escrever estas coisas... O que eu me vou rir com elas no futuro!!!
Na verdade, nada como ter mais filhos, para me assegurar que me vou continuar a divertir e enternecer desta forma... E já tenho ajuda, porque a R. diz sempre: "eu ponho-lhes a chupeta, levo-os para a minha caminha, e mudo a fralda se for chichi, se for cocó mudas tu, tá bem, mãe?". Vai ser um sossego...

Até sempre,
C&C

domingo, 1 de junho de 2008

Brocolos vs mousse de chocolate


Vou eu a caminho do supermercado para comprar os ingredientes para fazer à minha filha a mousse de chocolate que lhe ando a prometer à dias (e que hoje, por ser dia da criança, entendi não adiar mais), quando ela se sai com esta frase:

"Sabes do que é que eu gosto, mãe? De brócolos... de brócolos e de alface..."

Por estas e por outras é que realmente ser mãe é a melhor coisa do mundo...


Até sempre,
C&C