Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

Lilypie First Birthday tickers

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

A win-win situation

Segundo o telejornal da RTP, depois das declarações de Saramago, dispararam as vendas de Biblias nas livrarias. Afinal, quem é que não quer ter em casa (e cito) "um manual de maus costumes" e "um catálogo de crueldade e do pior da natureza humana"?
As vendas de Caim também vão muito bem. As opiniões de Saramago relativamente à Igreja e religião católicas são de há muito conhecidas, e os leitores sabem desde sempre que se trata de um escritor polémico. Esta pimenta acaba por até ajudar às vendas.
O povo português, depois da Maité Proença e do anúncio do Pingo Doce, regozija-se por ter mais um assunto de extrema importância :-) para alimentar as conversas de café e os foruns de discussão na internet.
Resumindo, é uma situação em que todos ganham…

Até sempre,
C&C
PS - O livro (o Caim, não a Biblia) ainda não está na minha prateleira, mas apenas por falta de oportunidade para o comprar…

4 comentários:

Mary disse...

Tal e qual... já ninguém pode com a Maitê e com o Pingo Doce. E como o povo precisa (como dizes e bem) de ter sobre o que falar (criticar?), agora é o Saranago que está na ordem do dia... e a vender que nem pão quente, que ele de parvo não tem nada.

mfc disse...

Não posso dizer que não gostei da pancada que deu à Igreja!
Para ser franco... adorei!

Cildemer disse...

É bom saber que em Portugal há também pessoas que são da opinião do senhor Saramago. Uma boa pancada à igreja e bem merecida. Bravo ao senhor Saramago e assim que terei a oportunidade de comprar o livro não deixarei de o fazer.

Cookie disse...

Bom, eu acho que não escrevi em lado nenhum que concordava com as declarações dele. Achei a provocação desnecessária e exagerada, para ser sincera. Mas também acho que a partir de uma certa idade devemos mesmo ter o direito a dizer o que pensamos...
O que é certo é que no fundo, e como escrevi, todos ficaram a ganhar com isto...
E entretanto o Caim, tal como grande parte dos livros do autor (envoltos em mais ou menos polémica), já se encontra na minha prateleira e em pipe-line de leitura :-)